CORD
Médico da Dor

As dores na região lombar ou as chamadas lombalgias são, cada vez mais, frequentes e afetam não somente pessoas com idades avançadas, mas populações jovens podem sofrer com a manifestação de queixas recorrentes nos consultórios médicos. Felizmente, nem toda dor nas costas implica na existência de um problema mais grave na região. A dor lombar é um dos dos problemas na coluna que atinge o maior número de pessoas no mundo todo, sendo também uma das principais causas de afastamento do trabalho. A dor lombar é extremamente prevalente: 84% das pessoas apresentam pelo menos um episódio de lombalgia na vida. A dor na região lombar é a maior causa de faltas ao trabalho no Brasil. Assim como também é o maior motivo de incapacidade em indivíduos acima de 45 anos.

A lombalgia, normalmente, requer maior atenção e acarreta sintomas que sem o tratamento correto podem ser permanentes, prejudicando a qualidade de vida do paciente.

Existem diferentes fatores desencadeantes da lombalgia. Contudo, a questão postural e o sedentarismo estão entre os principais fatores de risco. Hábitos incorretos de postura ao se deitar, ou sentar ou ainda realizar qualquer atividade do dia a dia, no trabalho e lazer podem acarretar em prejuízos à coluna. 

 

Há algumas causas que também podem ser apontadas como fatores para o desenvolvimento da lombalgia. É o caso de inflamações/infecções; hérnias de disco, artrose ou escorregamento de vértebra; obesidade; fatores genéticos; envelhecimento e até questões emocionais. O investimento na prevenção, como mostra essa revisão sistemática realizada pelo JAMA – Jornal da Academia Americana de Medicina, praticando exercícios físicos e tendo uma alimentação saudável é a maneira ideal de manter a coluna saudável. Muitas vezes é preciso eliminar  vícios que se detém e adquirir hábitos saudáveis para serem incorporados ao cotidiano nosso. 

 

A dor lombar, ou lombalgia ou lombociatalgia – quando ocorrer uma dor irradiada no trajeto do nervo ciático, percorrendo a parte posterior das pernas / membros inferiores – se apresenta com sintomas como:

  • queimação
  • sensação de “choque”
  • incapacidade de ficar de pé
  • irradiação da dor para as pernas (ciatalgia)
  • dificuldade para deambular pequenas distâncias

Há ainda casos em que a pessoa fica literalmente “travada”, sem conseguir se movimentar livremente. É uma dor intensa, que pode ser incapacitante.

No caso de uma dor na lombar aguda, na maioria das vezes ela ocorre de maneira súbita, decorrente de um “mau jeito” ou de exercícios pesados, causando uma dor aguda e intensa. A dor costuma desaparecer em alguns dias, e geralmente não requer tratamento médico. Pode ocorrer ainda a dor lombar crônica, apesar de ser menos intensa, pode permanecer por várias semanas e requer tratamento médico.

São causas frequentes de dores lombares:

- hérnia de disco: acontece quando a parede do disco não consegue segurar o conteúdo interno, podendo haver deslocamento deste para fora do espaço discal e a compressão de um ou mais nervos que correm para as pernas. Pode a dor então irradiar para pernas e virilha e é chamada de ciática ou ciatalgia. 

- tensão ou distensão muscular:  temos que as principais causas são:

  • uso excessivo
  • má postura
  • levantamento de pesos excessivos (como uma mala ou caixas pesadas).

O tratamento para essas dores lombares podem incluir uma terapia medicamentosa – que muitas vezes requer a utilização de mais de uma classe de medicamentos - associada a uma reabilitação com medidas não farmacológicas, tais como fisioterapia, acupuntura, dentre outras. Caso haja uma falha deste tratamento, dito conservador, pode-se optar pelo medicina intervencionista da dor. A Medicina Intervencionista da Dor é uma prática ampla, indicada para várias patologias, em que são utilizadas técnicas minimamente invasivas para o diagnóstico e o tratamento da dor.São os chamados bloqueios ou infiltrações na coluna, que sem dúvidas, costumam trazer alívio da dor e melhora da movimentação da coluna de forma definitiva ou temporária e, ainda por cima, ajudam o médico a identificar a estrutura exata responsável pela dor.  Desta forma, cirurgias mais agressivas podem ser evitadas e, com a identificação da estrutura causadora da dor, novos bloqueios podem ser direcionados para esta região, ou outros procedimentos minimamente invasivos, como os tratamentos por radiofrequência podem ser indicados.

     As infiltrações ou bloqueios ajudam na reabilitação, quando o paciente não está mais conseguindo evoluir nos exercícios por sentir um pouco de dor, mesmo com o tratamento clínico corretamente instituído. Outro benefício claro do procedimento é a possibilidade de reduzir ou mesmo suspender os medicamentos ingeridos, que muitas vezes causam desconforto, além de efeitos colaterais gástricos, renais, entre outros.

            De forma geral os bloqueios são procedimentos simples, com baixo riscos, mas mesmo assim realizamos exames se necessário para que tenhamos uma melhor avaliação do estado de saúde de cada paciente, respeitando e buscando não interferir com patologias presentes em cada indivíduo, tais como hipertensão arterial, diabetes, patologias da tireóide, dentre outras. As medicações utilizadas são os anestésicos locais, corticoesteróides, opioides (que são medicações de alta poder analgésicos) e medicações adjuvantes. 

      Infiltrações superficiais podem ser realizadas no consultório médico. Geralmente estão indicadas quando há dor muscular ou mio-fascial e a infiltração é realizada em um ou mais pontos específicos, geralmente denominados pontos de gatilho – trigger points. Contudo os bloqueios em coluna lombar ou cervical são costumeiramente realizados no centro cirúrgico sob sedação leve proporcionando nenhuma dor ou desconforto ao paciente, diminuindo sua ansiedade, fazendo com que o procedimento seja realizado de forma confortável e essencialmente segura. Realizamos estes procedimentos ainda dentro do centro cirúrgico porque nesse ambiente temos disponível aparelhos tais como: a fluoroscopia (aparelho que mostra imagem da coluna em tempo real) para poder localizar exatamente pontos específicos profundos na coluna, ou ainda aparelhos de ultrassom e também neuroestimuladores proporcionando uma alta eficácia e menor potencial de riscos. A associação de todas essas medicações, juntamente com a tecnologia somadas à experiência e estudo nosso como profissional resulta em alívio da dor, aumento da amplitude de movimento da coluna, e os sintomas de formigamento ou dormência também podem melhorar. 

Os médicos da dor ou ainda médicos intervencionistas em dor contam em seu arsenal de procedimentos uma grande variedade de bloqueios para atuar em situações e contextos diversos, não somente restringindo estes procedimentos a coluna seja ela lombar, torácica ou cervical. Mas podendo atuar em diversas regiões do organismo tais como a articulação sacro ilíaca, joelhos, quadril, ombro, tornozelos e pés. 

bloqueio coluna dor
bloqueio de coluna dor